24 de abril de 2013

21 de abril de 2013

Opinião - Voo Final


Em Junho de 1941 a Dinamarca encontra-se sob a ocupação de Hitler, enquanto a Grã-Bretanha é a única potência europeia em condições de fazer frente ao avanço dos nazis. Mas os aviões que partem em missões de bombardeamento são sistematicamente abatidos pelos esquadrões germânicos, como se de algum modo estes conhecessem os planos de ataque da RAF. Uma agente do MI6 é destacada para investigar o que está a beneficiar os alemães, numa missão secreta à Dinamarca... Ao mesmo tempo, na pequena ilha de Sande, o jovem Harald, encontra numa base secreta dos alemães algo cuja descoberta pode ser vital para mudar o curso dos acontecimentos... Um thriller empolgante e complexo, baseado num caso verídico, pela mão do grande mestre da arte de contar que é o mundialmente famoso Ken Follett.

Opinião:

"Voo Final" é um thriller de espionagem da autoria de Ken Follett. No livro é retratada a vida na Dinamarca ocupada pelos nazis durante a Segunda Guerra Mundial.

Hernia Mount é uma agente  do MI6  que viveu vários anos na Dinamarca. Vendo a iminente invasão nazi à Dinamarca ela começa a montar uma rede de espiões, que serão responsáveis por encontrar informações que possam favorecer os britânicos na difícil guerra.

Harald é jovem estudante que sonha estudar física com Niels Bohr, mas numa visita a casa descobre algo que irá mudar radicalmente a sua existência. 

Como é característico nos livros de Follett a descrição do ambiente e a criação de personagens está excelente. O enredo da história está bem construído, com algumas surpresas no meio, mas o final foi algo previsível.

As descrições das cenas de voo e as explicações acerca dos diversos sistemas instalados no avião para permitir o voo estão formidáveis e eu senti-me que estava ao lado das personagens a pilotar.

Gostei imenso de ler este livro, e a mudança de género literário foi muito positiva. A repetir no futuro.

Avaliação: 8-10 

16 de abril de 2013

Opinião - Traidor


Americano contra americano.

Irmão contra irmão. Numa guerra Civil.

Tão cruel como a americana há heróis vilões e... um traidor.

No verão de 1862, o capitão da Confederação Nathaniel Starbuck regressa à linha da frente da Guerra Civil Americana. Embora tenha participado em muitas batalhas vitoriosas, não pode escapar às suas raízes do Norte e torna-se apenas uma questão de tempo até ser acusado de ser um espião Yankee, perseguido e brutalmente interrogado. 

Para limpar o seu nome, terá que encontrar o verdadeiro traidor, uma proeza que irá exigir uma coragem extraordinária, uma resistência heroica, mas também uma odisseia perigosa através do território inimigo. Conseguirá Starbuck restaurar a honra do seu nome e livrar-se da infâmia?

Opinião:

"Traidor" é o segundo volume da saga "As Crónicas de Nathaniel Starbuck", que retrata a Guerra Civil Americana.

Depois da vitória em Manassas, os sulistas enfrentam agora uma nova invasão e são obrigados a ceder terreno. Mas o comandante conferado McClellan sobrestima largamente o numero dos soldados oponentes, o que a tomar uma campanha muito cautelosa.

Nate Starbuck, um nortista que combate pelo Sul, é acusado de ser um espião e aprisionado, onde ele barbaramente torturado para confessar que é um espião, mas é libertado por ser inocente. Mas para restaurar a sua honra e reassumir o seu posto na Legião Faulconer, ele terá de encontrar o verdadeiro espião.


Batalha de Ball's Bluff 
Esta saga é relato bastante realista da Guerra Civil Americana, mas foca-se em particular na atribulada vida de Nate, que ao longo do livro sofre vários reveses. 

Como é hábito do Bernard Cornwell as descrições das batalhas estão muito bem descritas e o mais verídicas possível, gostei particularmente da descrição da batalha de Ball's Bluff.

A escrita e capacidade do autor em misturar factos verídicos com outros ficcionais continua magistral, facto que o torna num dos meus autores preferidos. Se gostarem de historia Cornwell é sem dúvida um autor que deverá ter na sua estante.

Avaliação: 8-10

10 de abril de 2013

Tempus fugit




Infelizmente devido a questões profissionais o tempo para a leitura e actualização do blogue tem sido curto, por isso o mesmo tem tido poucas actualizações, facto pelo qual peço desculpa a todos os seguidores.

Boas leituras!

Random picture #3

Andreas Rocha - Fog in the Dawn