27 de dezembro de 2011

Opinião - O Primeiro Homem de Roma


Opinião:

Esta saga, escrita pela australiana Colleen McCullough, é um retrato fiel do fim da República Romana e o consequente início do Império. A saga é composta por sete livros e quase todos eles tem mais de mil páginas.

Os grandes generais romanos como Júlio César, Sila, Caio Mário, Marco António, Octaviano e Marco Agripa têm um especial destaque devido aos seus papéis fundamentais no controlo do destino da República.

Coliseu de Roma

Nos dois primeiros livros o principal destaque vai para o Caio Mário, um formidável general que devido ao facto de ser considerado um Plebeu e não um Patrício, tem dificuldades em se afirmar como o Primeiro Homem de Roma. Mário foi extremamente importante na reformulação das legiões romanas, pois permitiu a entrada dos Capite Censi (era a classe mais baixa dos cidadãos romanos) o que permitiu no futuro a formação de enormes exércitos. 

Caio Mário também se destacou pelo facto de ter sido eleito sete vezes, coisa que não seguia a  Mos Maiorum  (é o codigo não escrito dos romanos e da qual derivavam as suas normas sociais). 
Mário é o tio de Julio César e no final da sua vida ensina a César a sua pericia militar.

Legião romana


Lúcio Cornélio Sila, foi um questor ao serviço do Caio Mário durante as guerras contra a Numídia, na qual se destacou por ter capturado o Rei Jugurta. 

Ele nasceu numa família Patrícia mas que se encontra extremamente empobrecida, com a ajuda de Caio Mário consegue ser nomeado como edil e realiza a primeira luta com leões nos anfiteatros.

Ele consegue o comando na luta contra o Rei Mitrídates VI do Ponto, mas Caio Mário movido pela inveja retira-lhe o comando com um suborno. Sila depois disso marcha sobre Roma, um facto que vai contra a Mos Maiorum.

Depois de ganhar a guerra contra o ponto volta a uma Roma divida devido a uma guerra cívil, e volta a marchar sobre Roma e com as suas execelentes legiões coseque ganhar a guerra e torna-se ditador vitalício.  

Depois de estar no máximo do seu poder, renuncia subitamente e retira-se para a sua casa de  campo na companhia de dançarinos, prostitutas e o seu amante Metróbio. Um ano depois morre devido a uma cirrose.

César numa batalha


Caio Júlio César, foi um dos maiores generais da Idade Clássica e que alargou os dominios de Roma até a Grã-Bretanha. A sua conquista mais famosa foi da Gália, guerra que durou cerca de 9 anos.

No Senado, César tinha como inimigos Catão e Bibulo que tinham receio do enorme poder de César e pensavam que ele se queria tornar no Rei de Roma.

César torna-se cônsul mas tem como consul-júnior Bibulo, seu inimigo declarado que para dificultar a vida de César retira-se de a vida politica para estudar os astros para a busca de presságios. 

Devido a essa dificuldades César procura uma forma de consequir governar Roma e é por isso que forma com Pompeu Magno e Marco Licinio Crasso o primeiro triunvirato. Nesse triuvirato os três controlam de forma informal o controlo sobre Roma.

Pompeu era o homem com uma enorme influência e popularidade nas classes mais baixas mas que não conseguia obter no senado o direito de dar as suas legiões terras de cultivo que lhes tinha prometido e Crasso que era considerado o homem mais rico de Roma, também se encontrava em dificuldades para obter o comando numa guerra contra o Império Parta.

Com os novos poderes César torna-se no governador da Gália e Iliria mas devido as suas grandes aspiração depressa entra numa guerra na qual conquista a Gália, partes da Germânia e ainda faz uma breve incursão a Bretanha. 

Depois desta guerra, César torna-se até a sua morte no Primeiro Homem de Roma. No seu testamento deixa a sua enorme fortuna ao jovem Octaviano, o que supreendeu os seus pares pois todos esperavam que fosse o Marco António o principal beneficiado. 

Octaviano depois de uma nova guerra civil contra Marco António torna-se no primeiro Imperador Romano sobre o nome de César Augusto. 

Os domínios Romanos durante o tempo de César

Esta saga é retrato muito fiel de um período histórico que muito me fascina, e foi sem dúvida a saga do género que mais gostei. Não tenho a mínima dúvida de que qualquer amante por história irá gostar desta mágnifica saga.

Avaliação: 10-10
Enviar um comentário