12 de novembro de 2012

Opinião - O Corsário do Rei



Tudo o que um fã de fantasia poderia esperar. Este é um livro a ler mesmo para quem não leu a saga anterior. 

Há muito recomposto da guerra da brecha, a terra e o povo do reino das ilhas floresce. Nicholas, o filho mais novo do Príncipe Arutha, é um jovem inteligente e dotado, mas foi sempre protegido pela vida na corte, em Krondor. Para que aprenda mais sobre o mundo para lá das paredes do palácio, Arutha decide enviar Nicholas e o seu irreverente escudeiro, Harry, até à rústica Crydee, onde Arutha cresceu. É tempo de mostrar uma vida sem privilégios. 


Mas poucas semanas após a chegada deles, Crydee é brutalmente atacada. O castelo fica reduzido a ruínas, os cidadãos são chacinados e duas jovens nobres – amigas de Nicholas – são raptadas. 


Ao aventurar-se para longe das paisagens familiares da sua pátria em perseguição dos invasores, Nicholas compreende que está em jogo algo mais do que o destino das suas amigas, e mais até do que o destino do Reino das Ilhas, pois por detrás dos piratas assassinos esconde-se uma força bem mais poderosa que põe em perigo todo o mundo de Midkemia. E apenas ele poderá vencer essa terrível ameaça… ou perder o reino por inteiro.


Opinião:


"O Corsário do Rei" é o segundo volume da saga "Filhos de Krondor", mas é um livro que se pode ser lido como um stand alone. 


A personagem principal do livro é o jovem Príncipe Nicholas, o filho mais novo do Arutha. Nicholas é um jovem inteligente e bom espadachim, mas foi muito protegido na corte do seu pai devido à deformação que tem no pé esquerdo. Por isso, Arutha decide-o enviar para Crydee para ele habituar-se a uma vida sem a sua protecção. 


Grande parte da história relatada neste livro passa-se em alto, com a perseguição do Nicholas a um grupo de misteriosos piratas, que raptaram diversas pessoas do Reino, que o obriga a viajar por mares desconhecidos até a um continente chamado de Novindus. 




Em Novindus, Nicholas e os seus companheiros têm de enfrentar diversos perigos incluindo um perigoso deserto e são envolvidos em manipulações politicas de um povo que não conhecem. Lá eles têm de enfrentar antigos inimigos da família coDoin, que querem causar a destruição do Reino.

Como em todos os livros do autor, este livro é recheado de acção, com um enredo bem construído e com muitos elementos mágicos. Gostei muito do Nick, que é um jovem corajoso e que me fez lembrar o seu pai, Arutha, que é a minha personagem preferida deste mundo.

Este é sem duvida um livro que me cativou. e espero que a Saída de Emergência continue a sua aposta neste  fantástico escritor. 

Avaliação: 9-10

Enviar um comentário