2 de abril de 2014

Opinião - Tigana - A Voz da Vingança


O príncipe Alessan e os seus companheiros puseram em marcha um plano perigoso para unir a Península de Palma contra os reis despóticos Brandin de Ygrath e Alberico de Barbadior, numa tentativa de recuperar Tigana, a sua terra natal amaldiçoada. Brandin é um rei maquiavélico e arrogante, mas encontrou em Dianora alguém à sua altura e está cativo da sua beleza e charme. Alberico está cada vez mais consumido pela ambição, cego a todas as ciladas em seu redor. Entretanto, o nosso grupo de heróis viaja pela Península, em busca de alianças e trunfos decisivos que podem mudar a maré da batalha a seu favor. Alessan está mais moralmente dividido que nunca, Devin já não é o rapaz ingénuo que era, Catriana apenas deseja redenção e Baerd descobre uma nova magia na Península. Conseguirá Tigana vingar a memória dos seus mortos? Ninguém consegue prever o fim nem as perdas que irão sofrer. Sacrifícios serão feitos, segredos antigos serão revelados e, para uns vencerem, outros terão forçosamente de tombar.

Opinião:

A Voz da Vingança é a segunda parte do livro Tigana. E nele continuamos a seguir a demanda de Alessan para quebrar a maldição lançada contra Tigana.

Alessan e Baerd continuam os seus esforços para libertarem Tigana e após um encontro com uma importante figura decidem que finalmente está na hora de entrar em acção após vários anos de cuidadoso planeamento.

Brandin de Ygrath foi a personagem que mais gostei neste volume por ser um homem complexo, que raramente mostra o que sente, mas capaz de grande amor e ódio, como é demonstrado com a cruel vingança contra os tiganeses após a morte do seu filho.



Este volume tem um enredo mais recheado de acção e explora muito bem as diferentes perspectivas dos principais antagonistas. A escrita de Kay é muito leve e fluída. 

Para mim não há duvidas nenhumas que Tigana é um livro que todos os amantes da fantasia deviam ter na sua estante. 

Avaliação: 9-10
Enviar um comentário