14 de outubro de 2011

Opinião - O Rei do Inverno


Uther, Rei Supremo da Bretanha, morreu, deixando o seu filho Mordred como único herdeiro. Artur, o seu tio, um leal e dotado senhor de guerra, governa como regente numa nação que mergulhou no caos – ameaças surgem dentro das fronteiras dos reinos britânicos, enquanto exércitos saxões preparam-se para invadir o território.
Na luta para unificar a ilha e deter o inimigo que avança contra os seus portões, Artur envolve-se com a bela Guinevere num romance destinado a fracassar. Poderá a magia do velho mundo de Merlim ser suficiente para virar a maré da guerra a seu favor?
O primeiro livro da Triologia dos Senhores da Guerra de Bernard Cornwell lança uma nova luz sobre a lenda arturiana, combinando mito com rigor histórico e as proezas brutais nos campos de batalha.

Opinião:

Este livro marca o início da trilogia sobre as lendas arturianas escrita pelo magnifico escritor de romance-histórico Bernard Cornwell. Mas se pensa que Cornwell segue o enredo habitual das lendas engana-se, leia este magnifico livro e seja surpreendido.

Logo no inicio do livro, Uther Pendragon morre e deixa como herdeiro o seu neto Mordred, que têm apenas 1 ano. Mas nomeia como regente um filho bastardo seu, que se tornou num famoso guerreiro pelas suas lutas em Armórica.

O livro é todo relatado na primeira pessoa pelo Irmão Derfel, um antigo guerreiro que lutou sobre as ordens de Artur mas que agora se converteu ao cristianismo, e que a pedido da rainha Igraine escreve as suas memórias.

As minhas personagens preferidas no livro foram Artur, Derfel e Galaad. Três homens bem diferentes mas que lutam pelos seus ideais e que cometem erros, alguns bem estúpidos.

Um dos pontos forte deste livro, como é habitual em livros deste escritor, são as magnificas descrições de batalhas e a tentativa de conseguir relatar a história da forma mais verídica possível, o que não é fácil nesta trilogia porque não é certo que Artur tenha existido de facto.

Apesar do início do livro ser algo lento e descritivo, para o leitor se situar bem na acção e conhecer os diferentes protagonistas, o ritmo do livro aumenta exponencialmente a partir do meio e termina num ritmo frenético na batalha final.

Para todos os amantes do romance-histórico, das lendas arturianas ou simplesmente amantes de um bom livro este é sem dúvida um livro a comprar.

Avaliação: 9-10 
Enviar um comentário