17 de maio de 2011

Critica "As Mentiras de Locke Lamora"



O romance que apanhou de surpresa o mundo da fantasia

Diz-se que o Espinho de Camorr é um espadachim imbatível, um ladrão mestre, um amigo dos pobres, um fantasma que atravessa paredes. De constituição franzina e quase incapaz de pegar numa espada, Locke Lamora é, para mal dos seus pecados, o afamado Espinho.
As suas melhores armas são a inteligência e manha à sua disposição. E embora seja verdade que Locke roube dos ricos (quem mais vale a pena roubar?), os pobres nunca vêem um tostão. Todos os ganhos destinam-se apenas a ele e ao seu bando de ladrões: os Cavalheiros Bastardos. O submundo caprichoso e colorido da antiga cidade de Camorr é o único lar que o bando conhece. Mas tudo vai mudar: uma guerra clandestina ameaça destruir a própria cidade e os jovens são lançados num jogo de assassinos e traidores onde terão de lutar desesperadamente pelas suas vidas. Será que, desta vez, as mentiras de Locke Lamora serão suficientes?


Opinião:


Este é o primeiro da saga "Uma Aventura dos Cavalheiros Bastardos" que tem o tamanho previsto de sete livros, sendo que ainda só dois foram publicados. O terceiro livro, "The Republic of Thieves", deverá ser publicado em Novembro.

Nesta história conhecemos o jovem Locke Lamora. Um rapaz de cerca de 10 anos que sobrevive a um grave surto de uma epidemia chamada de Sussurro Negro que ocorreu no bairro de Catchfire. Como órfão é "comprado" pelo Criador de Ladrões, que depois devido a vários graves incidentes decide "vender-lho" ao Chains.

Chains é um Sacerdote cego do Templo de Perelandro mas que na realidade é um garrista (líder) do bando Cavalheiros Bastardos. No templo Locke conhece os irrequietos gémeos Galo e Caldo. Chains ensina a Locke a arte de fazer um assalto bem conseguido. O seu treino até inclui aulas de etiqueta, saber cozinhar, fazer parte de uma congregação religiosa como disfarce. Com o tempo ele torna-se num excelente actor e consegue manipular a nobreza para conseguir fazer os seus roubos.


Mapa retirado do site oficial do autor


Alguns anos depois Locke torna-se no garrista dos Cavalheiros Bastardos, e assume o disfarce de Espinho de Camorr. No grupo há mais dois membros, Jean Tannen um temível guerreiro que usa dois machados mas que ao mesmo tempo é um grande estudioso e o Bug, um jovem bem traquinas. 

Depois de iniciarem a execução de mais um golpe as coisas começam a correr mal para os Cavalheiros Bastardos. E tem agora o desafio das suas vidas ao enfrentarem o misterioso Rei Cinzento e o seu magico Falcoeiro, que os estão a manipular através do enorme poder do magico. 

Um facto que pode atrapalhar um pouco a leitura é a constante alternância que o autor fez entre a infância de Locke e presente conflito com o Rei Cinzento. Em certos capítulos é mesmo preciso de ler alguns parágrafos para se perceber ao certo em que tempo passa a acção.

Esta obra tem muita acção, algumas cenas de lutas muito bem conseguidas, especialmente com o Jean a protagonista. Um ritmo da história é quase sempre elevado. Com excelentes personagens, devo dizer que o Locke entrou para a minha lista de personagens preferidas devido a sua astucia, capacidade de improvisação e humor negro. Outro dos pontos fortes da obra é a magnifica descrição de Camorr, uma cidade parecida com Veneza Renascentista, mas com os seus canais habitados por tubarões e lulas gigantes.

Este livro é obrigatório há todas os leitores que gostam de um livro que tenha muita acção, humor negro e muita ironia e sarcasmo misturado com mistérios difíceis de resolver. Uma compra definitiva!!

Nota: 9-10


Enviar um comentário