31 de julho de 2013

Opinião - Acácia - O Povo das Crianças Divinas


Um império com perigosos aliados e demasiados inimigos. Quatro príncipes determinados a cumprir um destino. Uma rede de intrigas que atravessa gerações. Manter o trono de Acácia poderá revelar-se uma tarefa fatal.

Corinn Akaran é a senhora suprema do Império Acaciano do Mundo Conhecido, e o poder parece suavizá-la, até mesmo fazê-la ceder aos jogos do amor. Mas, por todo o lado fervilha a traição e multiplicam-se as conspirações para a derrubar: dos seus alegados aliados numrek até às intrigas em torno da filha de Aliver, Shen, enquanto, do outro lado do mundo, um exército gigantesco se prepara para marchar sobre o Mundo Conhecido e a Liga dos Navios continua a jogar em dois perigosos tabuleiros, disposta a jurar servir qualquer senhor, desde que esse senhor sirva os seus próprios interesses.

Corinn nem pode contar com a sua própria família: a irmã Mena esconde-lhe segredos e Dariel, prisioneiro das Crianças Divinas, vai enfrentar uma aventura - novamente contra a Liga dos Navios - que o transformará no corpo e no espírito. Mas Corinn aprendeu a lutar, e não vai hesitar em chamar a si todos os aliados que conseguir, até mesmo aqueles que ninguém imaginava que um dia pudessem voltar.

Opinião:

"O Povo das Crianças Divinas" é o quarto volume da saga "Acácia" da autoria do escritor norte americano David Anthony Durham. 

Dariel que se encontra prisioneiro do Povo Livre, é uma das personagens que mais cresce neste livro, e que finalmente ganha um objectivo que lhe faz novamente lutar contra um antigo inimigo.

Corinn que tem cada vez mais obstáculos em manter o trono, vira-se cada vez mais para a magia para conseguir alcançar os seus objectivos, mas não tem o conhecimento das consequências do uso excessivo da magia.

Mena está mais calma desde que tem a Elya como companheira, mas o espírito de Maeban estará sempre presente.

A leitura deste volume é bastante  boa, mas divido a divisão dos livros, o início do livro é logo repleto de acção e quem não se lembre bem da leitura do volume anterior pode perder-se um pouco. 

David Anthony Durham é um dos meus escritores preferidos pelo seu talento em criar personagens fortes e pelas suas excelentes descrições do ambiente.

Para mim todos os amantes de fantasia deviam ler esta saga. Let the war begin!

Avaliação: 8-10
Enviar um comentário