17 de junho de 2010

Opinião - Dança de Pedra do Camaleão




Os Escolhidos

A literatura fantástica abre as páginas a um estrondoso título. Considerado pela crítica internacional como um novo Tolkien, a trilogia A Dança de Pedra do Camaleão do autor português Ricardo Pinto foi publicada na Grã-Bretanha, Estados Unidos, Alemanha e Holanda, chegando agora a Portugal. É uma obra excepcional no panorama da produção recente do género fantástico, a primeira de três títulos sobre a Comunidade das Três Terras, governada por imperadores e mestres que ditam cruéis regras. Neste volume, Os Escolhidos, Carnelian e seu pai, o Mestre Suuth, há muito tempo exilados do centro do mundo - Osrakum - regressam para a eleição do Imperador-Deus, a casta superior de uma sociedade hierarquicamente estruturada. Uma história de quatro mil anos que explora um complexo e hierarquizado império, polvilhada por um leve sabor oriental.




Os Guardiões dos Mortos

Sinopse:

Já apelidado como o novo Tolkien português, os livros de Ricardo Pinto, um emigrante radicado na Escócia, são um sucesso no Reino Unido, Alemanha, Holanda e EUA. No entanto, para se compreender o segundo volume da trilogia A Dança de Pedra do Camaleão urge ter lido o primeiro, publicado em Março de 2003, o primeiro momento de uma saga dividida em três partes que se complementam. As duas primeiras obras funcionam como uma espécie de tese e antítese, revelando-se em Os Escolhidos o mundo da casta dominante, a elite que a si própria se designa divina e cujas leis são implacáveis e cruéis, enquanto Os Guardiães dos Mortos retrata o universo das classes inferiores. Este romance conta como Carnelian e Osidian, vítimas de uma traição, são adormecidos no paradisíaco jardim proibido do Yeden, drogados, raptados e colocados em urnas funerárias...
Uma poderosa fantasia épica que reserva a Ricardo Pinto o lugar único como autor de algo que «permanece na memória como um sonho estranho e perturbador» (Interzone).

Opinião:

Estes são os dois primeiros da trilogia " A Dança de Pedra do Camaleão" do escritor português, emigrante na Escócia, Ricardo Pinto.

No primeiro livro a escrita é um bocado lenta mas o mundo está extremamente bem construído, e a estrutura social deste mundo de inicio em bocado confusa mas que faz lembrar as castas sociais da Índia. No segundo livro o ritmo da história já aumenta, mas continua com as excelentes descrições do mundo fantástico imaginado pelo Ricardo Pinto.

No primeiro livro é nós dado a conhecer o jovem Carnelian, que é um membro da casta superior chamada de os Escolhidos. Mas ao contrário dos outro Escolhidos o Carnelian demonstra tem compaixão com as castas inferiores até porque fui criado fora da corte de Osrakum

O primeiro livro levamos para o mundo dos Escolhidos, que é cheio de intrigas e de manipulações. Quando sabem da iminente morte do Imperador Deus, Carnelian e o seu pai tentam chegar a Osrakum a tempo a votação do soberano. Mas ao longo do seu caminho sofrem fortes contrariedades. Em Osrakun, Carnelian conhece Osidian, um misterioso jovem Escolhido.

Já no segundo livro roda mais acerca da casta inferior chamada de marumaga. Neste carnelian e Osidian, são feitos prisioneiros, mas rapidamente conseguem conquistar a sua liberdade. Osidian começa a conspirar para reconquistar o trono que perdeu através da sua manipulação aos membros novos da tribo dos Ocre.

Apesar de o ritmo ser um pouco lento, principalmente no primeiro livro, são dois bons livros. Eu pessoalmente preferi o segundo, por ter um ritmo mais elevado e ser mais imprevisel. O mundo criado pelo o autor está magnifico e muito bem descrito. A sua escrita fez-me lembrar um pouco a escrita do Tolkien. Recomendo esses livros, a pessoas que gostem de fantasia e que não se importem muito com o ritmo lento.

Clasificação:

Os Escolhidos - 7-10
Os Guardiões dos Mortos - 8-10
Enviar um comentário