24 de maio de 2012

Opinião - A Loucura de Deus


Inícios do século XIV. O mito de Prestes João, das suas terras míticas e exércitos invencíveis, dá esperança a uma Europa destroçada por guerras. É então que um grupo de mercenários, acompanhados por Ramón Llull, o Doutor Iluminado, decide partir numa arriscada expedição para Oriente, ao encontro desse rei cristão. Mas a loucura dos homens, ou talvez de Deus, guia-os a um destino diferente e insólito: a estranha, misteriosa e desconhecida cidade de Aristarcópolis. E o que vão encontrar desafiará toda a ciência e tecnologia que conhecem, a crença no Homem e até a fé em Deus. Com uma sólida reconstrução histórica e uma rigorosa especulação científica, A Loucura de Deus é um divertido romance de aventuras (tanto físicas quanto espirituais), e comprova a mestria narrativa de Juan Aguilera, um dos autores espanhóis mais surpreendentes da actualidade.

Opinião:

A Loucura de Deus é uma obra literária escrita pelo autor catalão Juan Miguel Aguilera em que Ramón Llulo Doutor Iluminado, é a personagem principal e o narrador.

Ramón encontra-se no Chipre à procura de uma nau que o leve à Terra Santa, quando recebe o convite para assistir ao casamento de Roger de Flor, o líder de um grupo de Almogávares mercenários ao serviço do Império Sacro Romano, infantaria ligeira oriunda da Catalunha e dos Vales dos Pireneus que normalmente servia a coroa de Aragão,  com a princesa Dona Maria, sobrinha do Andrónico Paleológo, Imperador do Sacro Império Romano, em Constantinopla.

Ramón deseja recusar o convite, pois tem pretensão de viajar  para a Terra Santa, mas o almogávar mensageiro informa-o que Roger de Flor deseja falar-lhe e se, após a reunião, ele ainda desejar viajar para a Terra Santa, Roger colocará uma nau à sua disposição.

Terminada a reunião com com Roger, Ramón toma a aceita participar na demanda de Roger para encontrar o mitíco Reino De Prestes João, iniciando assim a mais atribulada viagem da sua vida.

Este livro é uma mistura de romance histórico, fantasia e também algum terror à mistura. Outro tema bastante explorado ao longo do livro é a religião católica e as suas diversas interpretações.

O enredo é bastante fácil de prever e a acção em vários capítulos é lenta e demasiado dedicada a religião. 

Este livro nunca me conseguiu cativar, e por isso, a sua leitura foi algo morosa.

Avaliação: 6-10

Enviar um comentário