8 de junho de 2012

Opinião - O Príncipe da Prisão Dourada



Há muitos anos, nas terras do Ocidente, o império Otomano era um dos mais poderosos de todo o Mundo. Para além de todos os mistérios que envolviam a sua tradição, também a sua sociedade se regia por leis e costumes diferentes. Era seu costume, em vez de matar todos os príncipes rivais como acontecia na antiguidade, estes serem mantidos em prisões tão luxuosas que rivalizavam com o melhor dos palácios. Amir é um desses príncipes. Estuda alquimia e tenta sobreviver afastando-se das intrigas e competição entre os seus irmãos. Mas por ser tão misterioso e sábio, torna-se um dos principais suspeitos de assassinar os irmãos que estão a morrer um após o outro. Aparentemente as mortes são inexplicáveis e sobrenaturais. Ajudado pelo seu irmão Erik, que é de estirpe superior, Amir terá que desvendar múltiplos segredos para evitar que seja sacrificado ou até executado por ordem Real.


Opinião:


O Príncipe da Prisão Dourada é o primeiro livro da saga escrita por Nathalie Mallet, publicado em Portugal na colecção TEEN da  Saída de Emergência. 

O Príncipe da Prisão Dourada é o primeiro livro da saga escrita por Nathalie Mallet, publicado em Portugal na colecção TEEN da  Saída de Emergência. 

Amir é um dos muitos filhos do Sultão de Telfar, filhos esses que vivem aprisionados numa luxuosa prisão muito semelhante a um palácio. Nesta competem entre si para serem nomeados pelo seu pai como o seu sucessor. Lutas e intrigas são os ingredientes mais usados entre eles gerando por várias vezes as mortes dos seus próprios irmãos, vistos como adversários a derrotar.  

Amir, ao contrário da grande maioria dos seus irmãos, não pretende tornar-se no sucessor do sultão e passa a maior parte dos dias na "cela" ocupando o seu tempo entre leituras e a pratica de esgrima, treinando várias vezes por dia tendo, contudo, o cuidado de não se deixar enredar nas perigosas maquinações dos seus irmãos.

Depois da morte aparentemente sobrenatural de alguns dos seus irmãos, Amir, devido aos seus hábitos, é considerado como um dos principais suspeitos das mesmas. Para provar a sua inocência, Amir tenta com o auxílio de Erik, um dos seus irmãos, descobrir quem é o verdadeiro responsável por detrás das misteriosas mortes ocorridas.   

O ambiente deste livro é inspirado no Império Otomano, com os seus magníficos palácios e tradições bem diferentes das ocidentais. 

A acção é algo lenta e descritiva no primeiro terço do livro; o enredo tem algumas reviravoltas bem conseguidas e admito que não consegui descobrir que era o responsável pelas mortes.

O Príncipe da Prisão Dourada é um livro que mais direccionado a um público juvenil, mas que tem qualidade. Gostei.

Avaliação: 7-10



Enviar um comentário