21 de dezembro de 2012

Opinião - A Lei dos Varões



Depois de cumprir dezoito meses de um reinado vergonhoso, Luís X, o Teimoso, encontra a morte numa noite de Junho de 1316, vítima de um veneno letal. O seu assassínio de parece confirmar a maldição lançada pelo grão-mestre dos Templários sobre a estirpe de Filipe, o Belo, e, pela primeira vez em séculos da dinastia dos Capetos, a França vê-se com o trono vazio e sem nenhum herdeiro natural que possa ocupá-lo.

Os problemas gerados pela falta de descendência de Luís X só podem ser interpretados como mais uma característica de um governante irresponsável e nefasto e, num período de especial instabilidade política acabarão numa luta pelo trono. A disputa está lançada e aqueles que se consideram aspirantes legítimos ao poder lançam-se para jogar as suas cartas com grande celeridade: Carlos de Valois, que tenta forçar o seu acesso à regência por ser irmão de Filipe, o Belo, e um dos mais antigos conselheiros reais; os nobres de Borgonha, na qualidade de defensores do direito que assiste à suposta filha bastarda do rei, a jovem Joana de Navarra. Para preparar a sua subida ao trono, Filipe de Poitiers, irmão do falecido monarca, invocará uma certa lei sálica, a «lei dos varões», que na verdade foi forjada para as circunstâncias, mas daí em diante definirá as regras da sucessão na monarquia francesa. O desaparecimento do filho póstumo de Luís, o Teimoso, permite que permite que Filipe se torne, Filipe V, o Longo.


Opinião:

"A Lei dos Varões" é o quarto livro da saga " Os Reis Malditos" e retrata a ascensão ao trono de Filipe V.

Depois do curto reinado de Luís X, o herdeiro ao trono de França é o seu filho que, no entanto, ainda se encontrava em gestação aquando da morte de seu pai. Devido a esse facto há então, na corte, uma disputa pela regência do reino entre Carlos de Valois e Filipe de Poitiers. Filipe, com a sua grande habilidade política consegue assumir então a regência, mas tornar-se regente de França não satisfaz a sua enorme ambição. Filipe deseja ser o Rei e para subir ao trono forja a lei sálica, lei esta que diz que apenas os varões podem subir ao trono. 

Ao contrário do seu irmão, Luís X, Filipe é um excelente politico e tenta continuar as politicas do seu pai em relação a governação da França, mas tal como o seu pai as suas politicas tornam-o um governante muito impopular e criticado pela nobreza. 

A ascensão de Filipe ao trono foi conseguida através de muitas intrigas, manipulações e assassinatos. O seu reinado só durou 5 anos e não deixou nenhum filho varão para herdar o trono.

As disputas e as intrigas na corte fazem deste livro o melhor que li ate agora da saga. 

Avaliação: 9-10
Enviar um comentário