21 de dezembro de 2012

Opinião - Os Venenos da Coroa



Apenas alguns meses depois da morte de Filipe, o Belo, os conflitos, as intrigas, os ódios e a luta pelo poder ameaçam submergir a França numa instabilidade devastadora. O legado de três décadas de eficácia administrativa, económica e política escapou-se como água por entre as mãos de Luís X, que permitiu a confrontação entre ministros burgueses e nobres conservadores se saldasse pela perda do domínio das províncias. Estava-se no Verão de 1315.

De acordo com o cognome por que é conhecido na corte, Luís, o Teimoso, começou a regência com a obsessão de se desfazer da mulher, Margarida de Borgonha, e de sentar a seu lado uma nova rainha. Com Margarida assassinada e a bela princesa Clemência, da casa de Anjou-Sicília a caminho, vinda de Nápoles, para se tornar rainha de França, Luís X parece preparado para assumir a responsabilidade pelo seu reinado. No entanto, num alarde de grandeza, próprio de quem tem o poder, mas não a capacidade de o conservar, o rei envolve-se numa guerra absurda contra o conde da Flandres, enquanto o seu povo morre de fome.

No Mediterrâneo, as tormentas mergulham os pensamentos da futura rainha Clemência nos mais negros presságios. O veneno volta a correr nas veias de França, e nada parece poder evitar que venha a ameaçar a coroa.


Opinião:


"Os Venenos da Coroa" é o terceiro livro da saga "Os Reis Malditos" que retrata a corte francesa no inicio do século XIV.


Depois da morte do Rei Filipe, o Belo, a França é governada pelo inábil Rei Luís X, que em poucos meses destrói todo o legado do seu pai. A maior obsessão de Luís X é obter do Papa a anulação do seu casamento com a infiel Margarida de Borgonha. Contudo, ainda não foi eleito um novo Papa. Perante tal situação, Luís decide enviar o seu irmão, Filipe, a Avinhão para acelerar a eleição do novo Papa.

Uma vez que o processo de anulação é demorado e o Rei se encontra desejoso de se casar com a princesa Clemência, que lhe foi prometida pelo seu tio Carlos de Valois, decide assassinar Margarida de Borgonha e assim, ficar livre para contrair novo matrimónio.

Luís X, o Teimoso, foi um rei fraco que cometeu inúmeras más decisões entre as quais: entrar numa guerra desastrosa contra Flandres e arruinar as negociações políticas tomadas pelo seu pai somente para agradar ao seu tio Carlos, que é, na realidade, quem governa a França.


Este livro retrata de forma magistral a corte francesa nos anos da governação de Luis X, com as suas intrigas e lutas pelo poder. A saga "Os Reis Malditos" é sem dúvida uma saga indispensável a todos os amantes do romance histórico.


Avaliação: 9-10
Enviar um comentário