13 de maio de 2013

Opinião - Triplo



No ano de 1968, Israel esteve por detrás do desaparecimento de 200 toneladas de urânio, material destinado a dotar o Egito da bomba atómica com a ajuda da União Soviética. Contudo nunca se conseguiu determinar como é que um carregamento daquele minério, suficiente para produzir 30 armas nucleares, desapareceu no mar alto sem deixar provas que comprometessem Israel. Follett pegou nesta enigmática ocorrência e criou a partir dela um thriller único, onde um suspense de alta voltagem se combina com factos históricos.

Opinião:

Triplo" é um thriller histórico da autoria do Ken Follett sobre o desaparecimento de 200 toneladas de urânio em pleno Mar Mediterrâneo que, alegadamente, terá sido desviado pelos israelitas. 

Nathaniel Dickstein é um antigo soldado inglês de ascendência judaica que foi capturado pelos nazis e enviado para um campo de concentração e que, depois da guerra, se mudou para Israel onde se tornou num agente secreto da Mossad, sendo enviado numa missão quase impossível: tentar arranjar plutónio para Israel poder construir uma bomba atómica e, de forma, a que não levante qualquer suspeita. 

Para conseguir arranjar o plutónio Nat terá de se defrontar com dois antigos colegas da universidade de Oxford, David Rostov (agente do KGB) e Yasif Hassan (agente egípcio).

Ken Follett continua a surpreender-me pela sua capacidade em construir personagens muito realistas e humanas e também na construção de óptimos enredos.

Gostei bastante de ler mais este thriller e irei sem dúvida ler mais livros do género.

Avaliação: 8-10
Enviar um comentário