29 de setembro de 2010

Opinião - "Jonathan Strange e o Sr Norrell"



Sinopse:

O melhor romance de fantasia desde O Senhor dos Anéis!
Há séculos, quando a magia habitava a Inglaterra, houve um mago que se distinguiu entre todos os outros. Chamou-se Rei Corvo, foi criado por fadas e, como nenhum outro, soube conjugar a sabedoria desses seres com a razão humana. Só que tudo se alterará a partir do momento em que um rei louco e alguns poetas mais arrojados fazem com que a Inglaterra deixe de acreditar na magia. O que acontecerá até meados do século XIX, quando o solitário Senhor Norrell, de Hurtfew Abbey, que faz andar e falar as estátuas da catedral de York, acredita que poderá ajudar o governo de Sua Majestade na guerra contra Napoleão.
Já em Londres, Norrell, encontrará Jonathan Strange, um jovem, rico e brilhante (mas também arrogante), que descobre por acaso que é um mago, tornando-se seu discípulo. Os feitos de ambos hão-de maravilhar a velha Inglaterra. Até ao momento, no entanto, em que a parceria, que parecia destinada ao sucesso, virará rivalidade. É que, fascinado pela figura sombria do Rei Corvo e atraído pela sua "insensata busca" por magias há muito esquecidas, Jonathan haverá de pôr em causa tudo o que Norrell mais estimava.
Jonathan Strange e o Sr. Norrell é, pois, um romance "elegante, mordaz e absolutamente arrebatador", envolvido em grande mistério e beleza que agarra o leitor até à última página.

Opinião:

Este livro de fantasia levamos a Inglaterra na altura das guerras napoleónicas. Em York há uma sociedade de magos mas são magos teóricos (homens que estudam a magia mas não a praticam), há mais de 200 anos que já não há magos praticantes.

Mas um dia os magos teóricos ouvem falar do Sr Norrell, um estranho cavalheiro que vive isolado em Hurtfew Abbey. O Sr Norrell tem uma enorme biblioteca acerca de magia e ele afirma ser um mago praticante, o que leva à Douta Sociedade de Magos de York a exigir ao Sr Norrell provas da sua magia.

Depois de provar de ser um mago praticante, o Sr Norrell toma como aprendiz o Jonathan Strange como seu aprendiz e partir daí as suas vidas mudam completamente assim como avida de todos os habitantes da Inglaterra.

Eu achei que a personagem do Sr Norrell era um pouco enfadonha e aborrecida mas adorei o Jonathan Strange principalmente aquando da sua participação na guerra.

Outro personagem que gostei muito do livro fui o John Uskglass, o Rei Corvo. O último grande mago da Inglaterra que desapareceu misteriosamente há 400 anos atrás mas que por lei continua a ser o Rei do Norte da Inglaterra.

O livro tem partes em que a acção decorre muito lentamente e tem demasiados apêndices que cortam o ritmo da leitura, mas apesar disso não deixa de ser um bom livro. É um livro que recomendo com algumas reservas.

Classificação: 8-10
Enviar um comentário