13 de setembro de 2011

Opinião - A Dança dos Dragões



O livro mais aguardado do ano da saga que revolucionou a fantasia.

O Norte jaz devastado e num completo vazio de poder. A Patrulha da Noite, abalada pelas perdas sofridas para lá da Muralha e com uma grande falta de homens, está nas mãos de Jon Snow, que tenta afirmar-se no comando tomando decisões difíceis respeitantes ao autoritário Rei Stannis, aos selvagens e aos próprios homens que comanda. Para lá da Muralha, a viagem de Bran prossegue. Mas outras viagens convergem para a Baía dos Escravos, onde as cidades dos esclavagistas sangram e Daenerys Targaryen descobre que é bastante mais fácil conquistar uma cidade do que substituir de um dia para o outro todo um sistema político e económico. Conseguirá ela enfrentar as intrigas e ódios que se avolumam enquanto os seus dragões crescem para se tornarem nas criaturas temíveis que um dia conquistarão os Sete Reinos?


Opinião:


Este é o quinto volume original (9º livro em Portugal) da saga "As Crónicas de Gelo e Fogo" da autoria do escritor norte-americano George R.R. Martin.


A história desde livro é paralela aos eventos relatados nos livros "O Festim dos Corvos" e o "Mar de Ferro", mas são os acontecimentos passados no Norte, na Muralha e nas terras para além dela e ainda o que se passou nesse período nas Cidades Livres.


Jon Snow tem a difícil tarefa de ser o Comandante da Muralha e de ter de lidar com o Rei Stannis, com os cativos selvagens e ainda a ameaça de um ataque do Outros. Jon continua a ser uma das minhas personagens preferidas. Apesar de ainda ser um jovem já mostra uma grande maturidade em lidar com os problemas de governar na Muralha.


Bran, com a ajuda do Mãos-Frias, consegue finalmente encontrar o corvo dos três olhos e começa a sua aprendizagem.


Theon afinal está vivo e em cativeiro nas masmorras do Forte Pavor, onde foi barbaramente torturado pelo Ramsay Bolton. Ele perdeu quase por completo o seu juízo. 


Em Essos, Daenerys continua com dificuldade em governar a cidade de Meeren, muito por causa dos constantes assassinatos efectuados pelos Filhos da Harpia contra os escravos libertados.


Tyrion consegue chegar as Cidade Livres a bordo de um barco, quando o barco aporta em Pentos, ele é enfiado num barril e levando assim para a mansão de Illyrio Mopatis. Uma coisa que não gostei muito é que o Tyrion anda constantemente bêbado, e perseguido pelo fantasma do seu pai. 


Gostei muito deste livro, apesar de não ter a qualidade do "A Glória dos Traidores", mas mesmo assim superou as minhas expectativas. Gostei bastante das surpresas  que o Martin preparou neste e penso que elas tornam o enredo da história ainda mais difícil de adivinhar. 


Um dos pontos fortes deste livro foi a viagem do Tyrion em Essos. Nessa viagem ele encontra muitas personagens interessantes e descobre um mundo novo que é magnificamente descrito pelo Martin.


Sem qualquer dúvida que esta continua de longe ser a minha saga preferida e estou ansioso para que chegue Janeiro para ler o "Os Reinos do Caos", onde espero que acha mais desenvolvimentos do que houve neste livro. 

Classificação: 9-10

Enviar um comentário