9 de fevereiro de 2012

Opinião - Os Reinos do Caos


Sinopse:



O inverno aproxima-se de um mundo mergulhado no caos. No norte dos Sete Reinos está iminente uma batalha decisiva pelo que resta do antigo domínio dos Stark. Ainda mais a norte, Jon Snow luta por encontrar um equilíbrio entre as tradições da Patrulha da Noite e o que o seu instinto lhe diz ser o caminho correto a seguir. A sul, velhas alianças esperam o tempo certo para serem reveladas, enquanto os
homens de ferro assolam os mares e as costas dos domínios Tyrell. Do outro lado do mar estreito, tudo converge para a Baía dos Escravos, onde Daenerys Targaryen tarda em ganhar a paz na inquieta cidade de Meereen. E os dragões? Qual será o seu papel no meio de tudo isto? Muitos estão certos de que a tão temida reconquista de Westeros está prestes a começar... 


Opinião:


Este livro é a segunda parte do livro "A Dance with Dragons", podem ler a minha opinião sobre a primeira parte aqui


Antes de mais, aconselho aos leitores que ainda não tenham lido a saga até ao seu nono volume e que não gostem de spoilers a não ler esta opinião, porque é me impossível evitar alguns. 


Neste livro continuamos a seguir as aventuras de Jon Snow, Daenerys Targarien e de Tyrion Lannister, que para mim são as três personagens mais influentes nos destinos do mundo.


Danny, continua com imensas dificuldades em conseguir manter a paz em Meeren. E agora ainda tem de conseguir controlar três dragões cada vez mais selvagens.


Jon, vive na ténue linha entre manter a tradição da Patrulha da Noite e entre permitir ao povo livre viver a sul da Muralha para assim ajudarem na luta contra os Outros, os quais Jon considera o verdadeiro inimigo.


Tyrion, é agora um escravo de um poderoso homem de Yunkai, e tem de fazer um espectáculo degradante para poder sobreviver, mas nem isso lhe tira o seu humor negro. 


Uma personagem que promete ser muito influente no futuro é o jovem Aegon, que agora desembarcou em Westeros e está a reivindicar os seus direitos.


Outras personagem que merecem destaque são Cheirete, que se encontra meio louco devido as terriveis provações que sofreu em Forte do Pavor e Arya, que continua em Bravos a servir a como criada na Casa do preto e Branco. Há muitas outras personagens importantes nesta complexa saga, mas não há espaço para destacar todas.


No final, o Martin voltou a surpreender-me ao tomar uma decisão que me deixou estupefacto. E ainda pior foi ele não divulgar o destino dessa personagem.


Eu gostei mais desta segunda parte do livro, por ter mais acção e por desvendar mais alguns mistérios e deixar ainda muito mais. Martin continua igual a si próprio com um humor negro, sem qualquer medo de matar personagens e com uma capacidade enorme de construir personagens memoráveis e um mundo genial.


Esta é sem dúvida a melhor saga que já li. E agora espero não ter de esperar mais cinco anos para ler a continuação.


Valar morghulis. 


Avaliação: 9-10
Enviar um comentário