17 de janeiro de 2010

Minhas personagens favoritas de "As Crónicas de Gelo e Fogo"

As minhas personagens favoritas são muitos diferentes um do outro.
Um é Lobo o outro é Leão.
Um é um bastardo aceite pelo pai, o outro é um filho que o pai rejeita.
Um é membro da Patrulha da Noite, o outro é um anão.
Sim, são o Jon Snow e Tyrion Lannister as minhas personagens favoritas.



Jon não conhece a sua mãe, o Eddard recusou admitir a sua verdadeira identidade,
mas disse ao Rei Robert que se chamava Wylla.
Eddard sempre tratou o Jon de maneira igual aos seus filhos legítimos, mas a sua esposa nunca o aceitou bem.
Quando o Eddard foi para Porto Real para servir como Mão do Rei, Jon pediu-lhe para se juntar a Patrulha da Noite.
Na sua viagem para a Muralha com o seu tio, o Jon compreendeu que a Patrulha não era a nobre irmandade que ele pensava, e começou a questionar a sua decisão de lhes juntar.
Ele era muito melhor espadachim do que os seus colegas, e manteve-se distante e arisco deles, enquanto que eles não gostavam dele.
Uma conversa com Donal Noye ajudou a corrigir a sua atitude, e ele rapidamente começou a tornar-se num líder natural, mentor e amigo da maior parte dos seus colegas, ganhando a assim inimizade do seu mestre de armas, Sor Alliser Thorne.
A sua influencia foi tão grande que quando Samwell Tarly chegou a Muralha, ele conseguiu convencer os seus colegas a não o aleijar nos treinos de armas, apesar de ordens ao contrário do Sor Alliser, isto porque o Sam era um guerreiro muito mau.
Pouco depois, quando o Jon foi promovido à Patrulha da Noite, ele percebeu que o Sam estaria em perigo outra vez, assim ele foi falar com o Meistre Aemon e convenceu-o a promover o Sam a patrulha e tornar-lo no seu assistente.
O Jon esperava ser colocado como patrulheiro mas ficou como intendente e ficou zangado com isso, embora ele tivesse sido designado ao Comandante Jeor Mormont, ele só percebeu que estava a ser preparado para a liderança quando o Sam o disse.
O Jon ficou divido entre os juramentos que fez a Patrulha e a sua família quando soube que o seu pai foi preso, e foi ele próprio preso quando atacou Sor Alliser que estava ridicularizou o seu pai.
Pouco depois ele salvou o Lord Mormont de um Outro e foi reintegrado.
O senhor Comandante também deu-lhe a ancestral espada de aço Valiriano, Garralonga.
Quando o seu irmão Robb chamou os súbitos para sul para lutarem com os Lannister, Jon sentiu que o seu lugar era ao seu lado, e desertou da Patrulha.
Os seus amigos seguiram-no e convenceram-o a regressar. No dia a seguir, o Senhor Comandante informou-o que ia liderar uma grande expedição para o Norte para procurar o seu tio Benjen, e perguntou a Jon se queria servir-lho como escudeiro e se estava completamente dedicado a Patrulha.
Jon relutantemente aceitou o seu lugar na Patrulha e preparou-se para a sua viagem para o Norte.



A mãe de Tyrion morreu no seu nascimento, e o seu sempre o odiou por isso e pela sua deformação. Na sua juventude, Tyrion era fascinado por dragões e fogo, e causava fogos nas entranhas do Rochedo Casterly e imagina Tywin ou a sua irmã Cersei, estavam a arder lá.
Quando ele tinha treze anos, Tyrion estava a cavalgar com o seu irmão Jaime, quando viram uma jovem mulher a ser abordada. O nome dela era Tysha, e Tyrion apaixonou-se por ela. Eles casaram-se em segredo, mas quando o Lord Tyrion descobriu, mandou toda a sua guarda violarem-na por uma prata cada um, e ordenou a Tyrion a ser o ultimo a pagar uma moeda de ouro, porque um Lannister valia mais.
Ele também revelou que a Tysha era realmente uma prostituta que o Jaime tinha contratado para ele. Desse dia em diante Tyrion desejou matar o seu pai.

Tyrion foi para Winterfell como parte da comitiva do rei Robert decidou ir a Muralha antes de regressar ao Sul.
Ele juntou-se a Benjen Stark e a Jon Snow na sua viagem para a Muralha, durante a qual se tornou amigo se Jon, e deu-lhe conselhos como sobreviver na Patrulha da Noite. Na sua volta de regresso ao sul ele parou em Winterfell a pedido do Jon e entregou planos para uma sela especial para permitir que Bran voltasse a montar apesar de o Bran estar aleijado.
Ele chegou até a Estalagem do Entrocamento (está localizada onde a Estrada do Rei se cruza com a Estrada do Rio), onde foi preso pela Catelyn por conspiração na tentativa da assassínio de Bran, Lord Petyr Baelish tinha lhe dito que a faca utilizada pertencia ao Tyrion. Catelyn decidiu levar-lhe para o Vale, onde foi atirado para uma cela pela sua língua ácida. Ele conseguiu uma segunda audiência com Lysa Arryn e exigiu um julgamento por combate.
Bronn, um mercenário que tinha ajudado Catelyn a trazer Tyrion para o Vale, e que se tinha tornado próximo de Tyrion durante a viagem ofereceu-se para ser o campeão de Tyrion e derrotou Sor Vardis Egen para assegurar a liberdade dele.
Contundo os dos homens foram deixados na Estrada Alta, onde seriam quase de certeza mortos pelos homens dos clãs das montanhas.
Tyrion conseguiu a lealdade de um grupo de clãs ao prometendo a eles armas e armaduras, e saiu das Montanhas da Lua acompanhado por um contingente composto por membros de quatro clãs.
Ele encontrou o exercito do seu pai que tinha invadido as Terras do Rio (Riverlands) e apresentou-se perante ele.
Lorde Tywin decidiu coloca-lo no vau do rio para a futura batalha com o exercito de Robb. Nessa noite ele mandou o Bronn para encontrar uma companhia feminina para ele, e o Bronn trouxe-lhe Shae, de quem Tyrion gostou imediatamente e decidiu ficar com ela o tempo todo.
No dia a seguir ele lutou na Batalha do Ramo Verde. Depois da batalha, Lorde Tywin soube da captura de Jaime em Correrrio (Riverrun) e decidiu retirar-se para Harrenhal, e enviou Tyrion para Porto Real (King's Landing) para ser Mão do Rei interino.
Enviar um comentário