23 de março de 2010

Opinião - "Filha do Sangue"




Sinopse:

Há setecentos anos atrás, num mundo governado por mulheres e onde os homens são meros súbditos, uma Viúva Negra profetizou a chegada de uma Rainha na sua teia de sonhos e visões. Agora o Reino das Sombras prepara-se para a chegada dessa mulher, dessa Feiticeira que terá mais poder do que o próprio Senhor do Inferno. Mas a Rainha ainda é nova, passível de ser influenciada e corrompida.E quem controlar a Rainha controlará o mundo. Três homens poderosos — inimigos de sangue — sabem isso. Saetan, Lucivar e Daemon apercebem-se do poder que se esconde por trás dos olhos azuis daquela menina inocente. E assim começa um jogo cruel, de política e intriga, magia e traição, onde as armas são o ódio e o amor. E o preço pode ser terrível e inimaginável.

Crítica:

Fazer uma crítica deste livro, não é muito fácil até porque para me ambientar a ele tive que ler mais de cem páginas, para compreender os diferentes sítios, as diferentes raças e os diversos tipos de jóias usadas e os seus significados.

Logo nas primeiras páginas, entra-se num ambiente negro, típico "dark fantasy", e nota-se o carácter forte do livro. Num mundo cruel, brutal e perigoso, onde o Mal espreita a cada esquina, e em todos, de uma forma ou de outra.

A história ocorre com a chegada da profetizada chegada da Feiticeira, Jaenelle, uma poderosa mas muito jovem feiticeira que irá mudar a sociedade dos Sangue. Com os seus extraordinários poderes Jaenelle consegue viajar por diversas dimensões, e nelas encontrar alguns amigos que a muito a esperavam, que são o Saetan, Senhor do Inferno, Daemon, um príncipe escravo haylliano, que são três personagens muito bem construídas. Mas ao longo do livro também aparece outra personagem muito bom, o Lucivar meio-irmão do Daemon, e que é um guerreiro eyrieno, mas que neste livro não têm muito destaque mas dá para perceber que nos próximos irá ter um papel fundamental.

É um bom livro. A escritora mesmo não tendo uma escrita complexa, consegue criar uma história que é capaz de nos deixar presos. Ela dá poucos detalhes por isso foi um bocado difícil de me orientar no mundo criado por Anne Bishop, mas quando estamos mais ambientados a história começa a tornar-se mais facilmente compreendida. Como a minha avó dizia primeiro estranha-se e depois entranha-se.

Não é um livro que eu recomenda-se a pessoas mais impressionáveis, com as suas cenas de sexo e de muitas mortes violentas, mas é um livro que recomendo a todos os amantes da fantasia, principalmente a amantes da Dark Fantasy.

Classificação: 7-10
Enviar um comentário